Trabalho Remoto e Híbrido

Vantagens e desvantagens do trabalho flexível (home office & presencial)

A pandemia ocasionada pelo novo coronavírus mudou completamente o cenário das empresas no Brasil. Foi preciso que, para a sua sobrevivência, as organizações brasileiras repensassem o seu modelo de negócio e de trabalho e impusessem aos seus colaboradores o trabalho home office; caracterizado pelo exercício das tarefas diárias fora da dependência da empresa.

Com a flexibilização da quarenta em diversos estados do país, no entanto, muitos gestores observaram que era possível diminuir custos, por meio da adesão a um modelo de trabalho híbrido e que unisse o melhor dos dois mundos: home office e presencial. Tal modelo de trabalho ficou caracterizado como modelo de trabalho flexível e, atualmente, é aplicado por inúmeras empresas brasileiras. 

Um dos principais motivos por trás da adesão deste novo modelo de trabalho é que, ao oferecer mais liberdade para que o colaborador possa conciliar a vida profissional e a pessoal, a empresa também se beneficia com maior produtividade e redução de custos com a sua estrutura física. Uma pesquisa realizada pelo Manpowergroup, inclusive, afirmou que 41% dos brasileiros estão preferindo trabalhar em empresas que oferecem o modelo de trabalho flexível como um diferencial.

Veja a seguir quais são as principais vantagens e desvantagens do modelo de trabalho flexível no Brasil.

O que é o modelo de trabalho flexível (ou híbrido)?

O modelo de trabalho flexível, que ficou bastante popular no Brasil diante da flexibilização da quarentena ocasionada pela pandemia, pode ser visto como um modelo de trabalho híbrido e que mescla o home-office com o trabalho presencial, de modo a oferecer opção de escolha e mais liberdade para os colaboradores.

Com o modelo de trabalho flexível, o colaborador pode, por exemplo, estabelecer o seu próprio horário e definir quando começa e quando termina de executar as suas tarefas diárias. Tal flexibilidade no ambiente de trabalho tem alavancado as empresas e se mostrado uma estratégia extraordinária para reter grandes talentos.

Atualmente, cerca de 38% das empresas brasileiras oferecem esse modelo de trabalho aos seus colaboradores e são inúmeros os fatores por trás dessa decisão; como, por exemplo, a redução de custos com estrutura física de escritório, até o aumento da produtividade, já que os colaboradores tendem a se dedicar mais ao trabalho. 

Porém, assim como em qualquer outro modelo de trabalho, existem vantagens e desvantagens. Descubra a seguir:

As vantagens do modelo de trabalho flexível

Segundo uma pesquisa realizada pelo instituto Robert Half International, a jornada de trabalho flexível é o benefício atual mais valorizado pelos empregados: 88% dos colaboradores que participaram do estudo desejariam ter essa flexibilização para realizar suas tarefas diárias.

Por isso, a jornada de trabalho flexível é recheada de vantagens e também pode ser vista como uma grande aliada na retenção de talentos. 

Vantagens do modelo de trabalho flexível

1. Mais liberdade e satisfação para os colaboradores

Todos os colaboradores, de um modo geral, almejam que a organização para qual trabalham, demonstre confiança em seu trabalho. A trajetória de serviço flexível nada mais é, portanto, do que um reflexo do bom relacionamento do colaborador com a empresa, quando a empresa pode confiar que o colaborador vai cumprir seu trabalho e o colaborador também pode confiar que a empresa irá continuar a cumprir com os seus deveres e obrigações para com ele, mesmo à distância.

Liberdade e autogestão fazem parte da jornada de trabalho flexível. O funcionário que trabalha nesse modelo de trabalho, assume a incumbência de tomar decisões importantes e agir, na maioria das vezes, de modo autônomo.

O resultado da estrutura desse relacionamento de confiança aumenta a satisfação do colaborador, fazendo com que ele se engaje mais com o trabalho, já que ele saberá que a organização confia nele e que suas decisões impactarão diretamente nos resultados da empresa.

2. Redução de ausências e atrasos

Uma ausência aqui outra ali, atrasos recorrentes… que empresa nunca  passou por isso com seus colaboradores? Com a jornada de trabalho flexível, no entanto, é possível diminuir os gastos com os atrasos e faltas.

Isso porque a questão logística, de deslocamento e transporte do colaborador, não será mais um problema. Com autonomia para fazer home office, a produtividade aumenta e os problemas com atrasos e absenteísmo diminuem.

3. Conciliação da vida pessoal e profissional

Um dos grandes desejos que permeiam a vida dos colaboradores é o de conseguir conciliar vida pessoal com profissional. A jornada de trabalho flexível torna isso possível, pois permite ao colaborador mais tempo para organizar seu dia a dia. Isso porque, com a sua autonomia de horário, ele pode resolver questões pessoais, sem que isso possa interferir no seu trabalho. Dessa forma, ele se vê mais feliz e satisfeito, por não precisar abdicar da sua vida pessoal em consequência das suas responsabilidades de trabalho. 

4. Redução de custos

Empresas que adotam uma jornada de trabalho flexível podem também reduzir seus custos, visto que ao abrir mão do trabalho diário no escritório, a empresa também diminuirá os custos com energia, internet, água, entre outras despesas. Sem contar que os valores gastos com o transporte dos colaboradores é também bastante reduzido, uma vez que num modelo de trabalho flexível, ele não precisará se deslocar para a empresa diariamente. 

As desvantagens do horário flexível

Como todo novo processo, a jornada de trabalho flexível também pode oferecer desvantagens. Abaixo elencamos três dos principais receios que as empresas têm quando pensam em adotar uma jornada de trabalho flexível, veja:

1. Queda de rendimento dos colaboradores

O maior receio dos gestores, ao adotar um modelo de trabalho flexível é, sem dúvidas, a queda no rendimento dos colaboradores. Embora o mercado acredite que a autogestão, ocasionada pela jornada de trabalho flexível, possa gerar queda de rendimento, no entanto, uma pesquisa realizada pela Page Talent revelou que cerca de 58% dos profissionais possuem maior facilidade para executar suas tarefas quando de forma independente. 

Assim, se o gestor conseguir planejar bem o trabalho, com objetivos e metas claras, a jornada de trabalho flexível será tão benéfica para a empresa, quanto uma jornada de trabalho presencial.

O grande segredo do alto rendimento é, portanto, o planejamento e a delegação de tarefas de forma organizada, o que independe do modelo de trabalho escolhido pela empresa em questão. 

2. Dificuldade de comunicação

Outro grande medo da liderança, quanto ao modelo de trabalho flexível, é a dificuldade de encontrar e comunicar-se com o time, quando necessário. Atualmente, porém, existem várias maneiras de se comunicar à distância de forma eficiente como, por exemplo, as videoconferências e audioconferências.

Com a ajuda da tecnologia, você pode realizar reuniões de briefing semanais, ou até mesmo diárias, à distância. 

Assim, você tem maior controle sobre a jornada de trabalho flexível e não fica se perguntando se o colaborador está mesmo trabalhando ou se vai entregar as tarefas no prazo.

3. Problema com os prazos de entrega das tarefas

O maior receio das empresas, ao optar pela jornada de trabalho flexível, é, ainda, que o colaborador passe a não cumprir mais os prazos de entrega das tarefas. Entretanto, se os gestores a frente do negócio acompanharem de perto a execução de cada um dos projetos, esse não será um problema.

A grande questão é, portanto, traçar um caminho para o time e ser claro em relação aos prazos de entrega, fazendo cobranças quando necessário. 

Afinal, uma jornada de trabalho flexível não significa que o gestor deve abandonar o time e que cada colaborador pode fazer o que achar melhor. É necessário que, mesmo com a ajuda da tecnologia, o gestor esteja à frente de tudo: liderando, delegando, cobrando execuções e mensurando os resultados.

Passo a passo para a implementar a jornada de trabalho flexível

Sabendo dos benefícios que a jornada de trabalho flexível pode oferecer para a sua empresa, é necessário atentar-se a alguns pontos antes de implementá-la. Para te ajudar nesse desafio, o nosso blog trouxe um passo a passo completo:

1 – Defina o modelo da jornada de trabalho flexível, com regras e normas: ao escolher os dias e horários em que o colaborador precisará comparecer presencialmente na empresa e os dias em que ele poderá desempenhar suas atividades no “home office”, você define também a autonomia e os protocolos da jornada. É possível até mesmo fazer uma pesquisa interna sobre o tema, para ter uma visão melhor da recepção dessa mudança.

2 – Avalie quais setores podem adotar esse modelo: já que em alguns casos como, por exemplo, no setor hospitalar, ou em áreas que o contato presencial diário com o cliente exige a presença do colaborador na empresa, esse modelo pode não se encaixar.

3 – Formalize a proposta de trabalho flexível: a partir daí, é necessário criar a proposta e expor o benefício a todos os colaboradores, de forma que eles possam optar por aquilo que mais faça sentido para eles. Formalize também a jornada de trabalho flexível junto ao sindicato, de modo a evitar problemas futuros.

4 – Adote um controle de ponto eletrônico: adotar um controle de ponto eletrônico e um software para gestão de escalas, onde as marcações são feitas via tablet, PC ou Smartphone, é essencial. Muitos sistemas oferecem, inclusive, um sistema “antifraude” via GPS e que aponta a localização do colaborador, facilitando a visualização do gestor futuramente.

Os impactos da jornada flexível na minha empresa

A jornada de trabalho flexível está se tornando uma tendência. Aparecendo como um modelo de trabalho que oferece não só maior autonomia e flexibilidade, mas que também permite mais tranquilidade e qualidade de vida para os colaboradores, essa jornada tende a fazer parte do “novo normal” pós-pandemia.

A jornada de trabalho flexível, conhecida por alguns também como híbrida, é capaz de impactar diretamente no aumento da produtividade, num maior engajamento dos colaboradores e na retenção de talentos na empresa. É claro que existem desafios, como em qualquer outro modelo de trabalho e, por isso, é necessário que a empresa tenha um planejamento prévio.

Tanto gestores quanto colaboradores precisam entender claramente o funcionamento desse modelo de trabalho. É fundamental que sejam expostas, portanto, as regras e normas, para que os objetivos e metas da empresa não sejam comprometidos.

A segurança dos profissionais após a pandemia

O atual cenário de pandemia do COVID-19 provou para todos a importância dos cuidados básicos com a higiene sanitária e medidas de distanciamento como prevenção e principal defesa da contaminação de vírus e doenças. 

Afinal, nesta situação de pandemia, em que se fez necessário o fim das aglomerações sociais, foi possível enxergar soluções por meio de recursos de higiene e do distanciamento social. Assim, hábitos de segurança que foram criados durante a pandemia, devem permanecer neste novo conceito de normalidade e é importante que a sua empresa se adapte e tome as devidas providências para isso. 

Como meio de auxiliar a sua empresa neste momento de adaptação, o Escala oferece inúmeros recursos de tecnologia que possibilitam a gestão de escala dos seus colaboradores, bem como as estratégias de revezamento e controle de presença. Acesse aqui e saiba mais.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *